BRICK LANE E NOTTING HILL

A cultura de rua em Londres

Se você gosta de variedade gastronômica, música, antiguidades, arte, moda, cultura de rua ou ao menos quer encontrar bons souvenirs de Londres, você certamente vai gostar de Notting Hill e Brick Lane. Com tantos atrativos fica difícil não gostar! São duas diferentes regiões de Londres mas que tem em comum serem, além de muito bonitas, pontos conhecidos de mercados de rua. São ótimos lugares para fazer compras e experimentar comidas de diferentes nacionalidades.

 

BRICK LANE

Brick Lane fica ao lado de Whitechapel, região onde ocorreram os assassinatos em série de Jack, O Estripador, em 1888. Na época, toda essa área era tida como um dos locais mais perigosos de Londres, sendo considerada uma grande favela. De lá pra cá, o governo britânico investiu pesado na região, melhorando a infraestrutura e tornando o local mais seguro.

A região de Brick Lane há muito tempo foi adotada por imigrantes vindos de Índia, Paquistão e Blangadesh, que vinham para Londres à procura de emprego. Assim como outros imigrantes, esses povos trouxeram a cultura do mercado de rua, hoje bem marcante em toda Londres.

 

Nas últimas décadas, Brick Lane passou a abrigar diversas lojas de roupa, feiras e sediar exposições de arte. Hoje eu diria que a região é mais alternativa (ou hipster se preferir), frequentada por pessoas interessadas em moda vintage e arte. Uma antiga cervejaria chamada Old Truman Brewery, hoje abriga a Sunday Up Market, uma feira enorme que tem diversas lojas de roupa, discos, acessórios, antiguidades e objetos de decoração feitos por artistas em começo de carreira. Além, claro, de muita comida.

 

A área é também famosa pelos seus muros coloridos de grafites, tendo vários autores ganho notoriedade após trabalhos realizados nos muros da região, como é o caso do famoso grafiteiro Bansky. Além da Brick Lane Street, todas as outras ruas a sua volta são repletas de grafite. A sensação de caminhar por ali é quase como quando você caminha por uma exposição, só que a céu aberto, onde os muros são telas.

 

 

Notting Hill

A região de Notting Hill, bairro charmoso e colorido de Londres, passou por diversas mudanças no decorrer dos anos. O local se tornou a moradia de vários imigrantes depois da segunda guerra mundial (quando ainda era barato morar ali), dando uma peculiar característica multicultural ao bairro. Depois se tornou procurado por muitos estudantes, até que a região se valorizou e passou a ser ocupada por pessoas com maior poder aquisitivo. Apesar disso, a diversidade cultura se mantém até hoje e pode ser facilmente percebida nas feiras de rua com barraquinhas de comida de diferentes nacionalidades, principalmente na Portobello Road, onde acontece a principal feira e também se concentram a maioria das lojas da região. Além de comida, há sempre músicos se apresentado na rua (muito bons, diga-se de passagem), barracas com antiguidades, brechós e diversas lojas dedicada aos turistas, com tudo quanto é tipo de souvenir.

 

A região ficou muito conhecida pelo famoso filme “Um Lugar chamado Notting Hill”, com Julia Roberts. O filme foi inspirado e gravado na região e você pode visitar diversos locais onde foram as cenas, inclusive a pequena e charmosa bookshop que inspirou o filme (foto abaixo). Aos que pretendem visitar Notting Hill, sugiro também sair da Portobello Road e caminhar nos entornos, as casas da região são todas muito charmosas, decoradas e coloridas.

 

Essa mistura cultural de Londres, tão evidente em Notting Hill e Brick Lane (e não apenas lá), é uma das coisas que mais me fascina nessa cidade. O ambiente se torna tão mais rico quando pessoas com diferentes ideias, hábitos e estilo de vida, se encontram e convivem; que as diferenças passam a ser mais toleradas e respeitadas por todos. Apesar do assunto imigração ter se tornado um alvo de críticas ao Reino Unido, com relação as últimas políticas adotadas, na minha opinião, Londres nunca deixará de ser uma cidade multicultura,  porque já está no D.N.A dela. Londres é e sempre será uma “capital do mundo”.

No próximo post vou mostrar alguns contrastes entre o lado tradicional e o lado moderno de Londres, outra característica marcante na cidade, que mantém aspectos tão tradicionais e ao mesmo tempo está sempre em transformação. Não perca! E obrigado por me acompanhar até aqui nesse post! =)